A inserção na guerra invisível

Propósito;

Iniciativa do coletivo Colando na Quebrada (atelier de arte móvel) ao já presente Projeto Um Bom Lugar (artes marciais e temáticas culturais à comunidade carente das Espraiadas).

Ao convite de Fábio Marcondes, artista presente no Atelier Pássaro de Papel e já participante ativo no Projeto Um Bom Lugar, estando também no La Cabane espaço Multicultural compartilhado, teve como chamado a junção de mais uma frente artística.

Além dos periódicos dias de artes na favela, foi provocado aos cuidados de um melhor bem-estar, a construção de um Galpão no meio da favela no morro do piolho para que possamos ensinar, trocar experiências e ampliar um ofício com a arte para as crianças e os moradores da comunidade; que por sua vez, tem por natureza apenas o crime (tráfico de drogas) como opção de pseudo-ganho de vida.

Muitas perspectivas podem ser transparecidas neste ponto, e estão, contudo neste breve momento trazemos uma importância peculiar ao manifestante invisível, de intenção e invocação instrumentada com o drama deste romance…

A inserção na guerra invisível.

Nas premissas da lei, da ordem, da justiça, eis que nascem a revelativa primeira, novamente, três pontos de criação, construção e destruição à tríade suprema. Despertares consolidados, são em ações melhores vistas as palavras e ao transmutar o ato feito.

Fudo Myo-o em sua qualidade de Buda Imutável, Inabalável, onde o mal não passa, traz em sua colérica presença a força divina para com a verdade. Sua presença cósmica e compassiva intenta ao mais profundo ponto de baixo plano, abrir portais de respiros àqueles que procuram de alguma sorte novas maneiras de viver, seja para além do tráfico, das drogas, do crime e ou quaisquer frequências de baixo plano.

Sagrado Coração em sua presença Crística, celeste, divina, acalenta aos primórdios de nossa era, neste ponto, a referência primeira de toda nação, brasileira, laica porém cristã, ao conforto possível de Cristo pai como salvação de toda uma densidade e intensidade dos planos inferiores aos planos superiores, abrindo em mesmo amor, janelas de respiros ao desejo real de mudança e transformação.

Com estas e outras obras de boa fé, intenção e vontade, tratamos aos ocultos instintos novas belezas que traduzem para cada qual alegria e esperança como indivíduo à unidade.

É natural habitarmos pelas dicotomias da vida, ali mesmo presente obras como o monotrilho, prédios de luxo etc., às margens da periferia humilde, pobre, que por sua vez têm não somente o rico egoísta tão pouco o pobre criminoso, são em livres essências, elementos e vibrações, contradições de nossas existências, vivências, escolhas, … não há julgamento sobre o que é certo ou errado, nem mesmo bom ou ruim, tampouco bem ou mal, o que existe somente são as graças da impermanência, da resistência e por todo o sempre da escolha ao que nos garante como resultado perdas e ganhos, ônus e bônus tal qual ações e reações.

Nós, daqui, escolhemos fazer parte, não com fotos bonitas de boas ações aos agrados de olhos digitais, nem mesmo aos momentos de insaciável compulsão espelhativa da autoimagem e sim, em labuta sincera, honesta, presente e agente com os pés em mesmo solo, sede em mesmo sol e pão justaposto em trocas-mesa, tanto indo como vindo, interagindo os caminhos de lá para cá ao propósito, sentido e serviço com o bem maior de vida.

fudo

 

untitled

 

colagem

Local: Morro do Piolho, favela da Espraiada.

Partes envolvidas: Colando na Quebrada e Projeto Um Bom Lugar.

Artistas envolvidos: Fábio Marcondes.

Obras em destaque: Fudo Myo-o e Sagrado Coração – Fábio Marcondes.

Apoio: Carola Trimano, Atelier Pássaro de Papel.

Colaboradores: La Cabane e Olhares Impressos.